Como ganhar credibilidade e evitar problemas nos atendimentos?

Autor: Dr.ª Ana Carolina Teixeira.

Mas o que nós queremos mesmo é mostrar uma visão positiva para você e, principalmente, mostrar que, com atitudes simples no seu dia a dia, é possível dar a volta por cima e sair vitorioso. Basta acreditar e trabalhar com determinação para alcançar seus objetivos. Investir na estética a partir de uma visão empreendedora é o primeiro passo para ser um profissional de sucesso.

E para complementar, hoje vamos trazer mais uma dica super simples, mas que faz toda a diferença na prática da profissão: ter uma boa conduta ética. Esse é um requisito essencial e justamente por ser tão importante faz com que o profissional de saúde estética no mercado se destaque no mercado.

Ter uma conduta ética se caracteriza primeiramente pelo respeito ao cliente e que, consequentemente, resulta no sucesso de quem trabalha na área da Saúde Estética, refletindo diretamente na consideração, reconhecimento e valorização dessa categoria, que conta com a regulamentação da profissão desde 18 de janeiro de 2012 (Lei 12.592). Mas anteriormente a isso já eram disseminadas normas técnicas e regras de conduta para nortear e estabelecer critérios e padrões para o exercício pleno das atividades que envolvem esses profissionais e suas posturas éticas.

Entrando num contexto um pouco mais técnico, podemos dizer que a ética profissional abrange desde questões morais, normativas e jurídicas, a partir de estatutos e códigos específicos. Além disso, é levado em consideração o “fazer” e o “agir”, em que o primeiro diz respeito à competência e eficiência do profissional e o segundo à sua conduta, contribuindo para a construção de sua imagem, que todos trabalham para que seja positiva. Por isso sua atuação deve ser embasada em sólida formação técnica e constante atualização, mantendo conduta ética e moral irrepreensível.

Embora a princípio pareça um manual de regras rígidas e complicadas difíceis de serem entendidas e colocadas em prática, a implementação do código de ética conta com atribuições simples no dia a dia. Entre elas estão: zelar pela provisão e manutenção do local de trabalho (higiene, saúde e biossegurança); avaliar o melhor tratamento personalizado a cada cliente; respeitar o direito ao pudor e à intimidade do cliente; conhecer e respeitar suas atribuições, não invadindo áreas de outros profissionais; não agir com negligência, imperícia ou imprudência no uso de tratamentos que coloquem o cliente em risco; praticar ou divulgar técnicas para as quais não esteja habilitado ou que não possuam comprovação científica; exibir fotos, slides, imagens, filmes ou o próprio cliente publicamente, sem prévia e expressa autorização do mesmo.

Esse tipo de assunto sempre vem à tona quando nos deparamos com casos infelizmente trágicos, que acabam virando repercussão nacional, como recentemente se viu noticiado um exemplo de imperícia de uma clínica em Brasília, e de pessoas que se dizem profissionais na área, que prestaram atendimento estético de bronzeamento natural a uma jovem de 20 anos, que ficou exposta ao sol tempo bem superior ao recomendado, e sem os devidos cuidados, vindo a falecer poucos dias após ao procedimento.

O profissional de estética vai conquistar e fidelizar seus clientes com o próprio trabalho e imagem e com a credibilidade que transmite, e que deve ser sempre favorável. Por isso a ética e a boa conduta profissional são tão importantes. Agindo desta forma, terá cada vez mais seu valor reconhecido, colocando fim a ações imprudentes de indivíduos despreparados e desqualificados, dando lugar à seriedade, responsabilidade e profissionalismo.

Profissional de estética: faça a sua parte!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias:

loading...

Faça parte do nosso canal do Youtube e tenha acesso a Conteúdos Exclusivos!